Você está aqui: Página Inicial Tertúlias Dialógicas
Seções

Tertúlias Dialógicas

(Reconhecidas como tecnologia educacional pelo MEC para o Mais Educação e escola de tempo integral) 

As Tertúlias Dialógicas são atuações educativas de êxito porque se demonstrou através de ampla pesquisa que contribuem efetivamente na melhoria da aprendizagem escolar de estudantes de diferentes níveis de ensino, bem como na melhoria convivência na escola. Produz resultados de aprendizagem com desenvolvimento de postura solidária na diversidade. Os resultados da pesquisa realizada em 14 países diferentes demonstram que as Tertúlias Literárias Dialógicas funcionam em diferentes culturas e em escolas com características distintas entre si. Seu desenho e os resultados que produz foram validados pela Comunidade Científica Internacional. 

Abaixo, apresenta-se mais detalhadamente o que é, como funcionam e são indicadas outras fontes de estudo e consulta.

 

O que é?

Trata-se da criação coletiva de significados e conhecimentos com base no diálogo igualitário e na participação de todos os participantes.

A atividade, Tertúlia Dialógica, baseia-se nos 7 princípios da Aprendizagem Dialógica, e se desenvolve com produções clássicas da humanidade, sendo assim, é possível realizar diversas tertúlias dialógicas, como por exemplo: literária, de artes e musical. 

As Tertúlias Dialógicas possibilitam que pessoas de idades, gêneros e culturas diferentes debatam temas diversos acerca dos clássicos universais e de conhecimentos científicos produzidos pela humanidade ao longo do tempo. 

Neste sentido, existem diversos tipos de tertúlia, como:

     • Tertúlia Literária Dialógica

     • Tertúlia Dialógica Musical

     • Tertúlia Dialógica de Artes

     • Tertúlia Dialógica de Matemática

     • Tertúlia Dialógica Científica

     • Etc.

 tld

Como se organiza?

Em cada atividade, cada participante destaca um trecho da leitura feita e todos, conjuntamente, fazem a interpretação dialogada sobre a obra que está sendo trabalhada: um texto literário, uma obra de arte, uma peça musical, uma questão matemática, etc. Assim, cada pessoa expressa ao grupo aquilo que lhe chamou atenção, explicando o destaque, relacionando-o com diálogos de encontros anteriores, expondo sua reflexão crítica, etc. Através desse diálogo e das contribuições de cada participante, gera-se um intercâmbio enriquecedor que permite aprofundar um tema na tertúlia, promovendo, por sua vez, a construção de novos conhecimentos. Em cada encontro, uma das pessoas participantes pode moderar a tertúlia dialógica, com a ideia de favorecer uma participação igualitária entre todos do grupo.

Por exemplo, na tertúlia literária, todo participante se compromete a ler um número de páginas ou capítulos, e elege parágrafos que lerá em voz alta na tertúlia e explicará o motivo de sua escolha, debatendo-o com todos do grupo.

 

Por que ler os clássicos da literatura universal?

Os clássicos universais propiciam acesso ao conhecimento sistematizado, ampliam o vocabulário e o conhecimento da língua, melhoram a compreensão de uma situação histórica, melhoram a qualidade da leitura e, finalmente, remetem aos marcos históricos de diferentes culturas, constituindo referências culturais de primeira ordem para a compreensão e a reflexão sobre o mundo. Hoje, mais do que nunca, em nossas sociedades globalizadas, a leitura dos clássicos universais de diferentes partes do mundo se constitui na aprendizagem básica para entender e compreender nossa sociedade.

Para reconhecer uma tertúlia literária dialógica é preciso saber se os livros que leem são clássicos universais e se realizam a metodologia da aprendizagem dialógica. (Flecha, 1997).

Uma obra clássica da literatura é aquela que perdura ao longo do tempo. Sobre ela existe um consenso universal que reconhece sua qualidade e sua contribuição ao patrimônio cultural da humanidade. São obras modelos em seus gêneros. Também são obras que abordam, com uma grande qualidade e profundidade, temas que preocupam a humanidade, independente de sua cultura ou época.

São obras que não saem de moda, que atravessam pessoas por gerações, embora tenham sido escritas há anos ou milênios atrás, como A Ilíada ou a Odisseia, de Homero.


Sintetizando e Diferenciando a Tertúlia Literária Dialógica de outras Práticas Educativas


TERTÚLIAS LITERÁRIAS DIALÓGICAS

O que é

O que não é

1. Permitem a construção coletiva de significado e conhecimento, com todas as pessoas participantes, baseada na aprendizagem dialógica

1. Não é uma roda de leitura

 

2. Baseiam-se na Leitura Dialógica e implicam um processo de leitura e interpretação coletiva e dialógica de textos num contexto onde prevalece a validade dos argumentos no lugar das pretensões de poder das e dos participantes. Através deste procedimento dialógico cada pessoa e o grupo dão um novo sentido à leitura dos clássicos e se alcançam compreensões muito profundas e críticas que seriam impossíveis de serem alcançados solitariamente

2. Não é palestra ou roda de conversa com um especialista sobre qualquer tema ou livro.

 

3. Leem-se livros da Literatura Clássica Universal

3. Não é Tertúlia Literária Dialógica se não se lê livro da literatura clássica universal

4. A compreensão coletiva dos textos produz-se por meio de um processo de interpretação coletiva que está mediado pelo diálogo igualitário entre todas as pessoas participantes.

 

4. Não é uma Tertúlia Literária Dialógica se o diálogo está baseado em pretensões de poder e não de validade, sendo as pessoas com maior status acadêmico as que monopolizam o debate e impõem ao grupo suas interpretações.

 

5. As pessoas participantes na tertúlia já vão com a leitura realizada das páginas que foram combinadas. Durante a tertúlia, expõe-se um parágrafo que chamou a atenção, que gostou especialmente, e compartilha com os demais o sentido desse parágrafo e qual reflexão ele proporcionou. Posteriormente, abre-se um turno de palavras onde os demais participantes dizem suas opiniões a respeito desse parágrafo ou elaboram sobre as interpretações realizadas previamente, construindo assim de forma dialógica um novo sentido.

6. Tem um moderador que tem a função de favorecer a participação igualitária de todos e todas participantes.

7. O diálogo igualitário promove o desenvolvimento de valores como a convivência, o respeito e a solidariedade

8. Podem ser realizadas com familiares, membros da comunidade, professorado, voluntariado e estudantes desde a Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Ensino Superior até a educação de pessoas adultas.

 (Texto traduzido e adaptado do site www.utopíadream.info/cat)


As Tertúlias Dialógicas Musicais e as Tertúlias Dialógicas de Artes são semelhantes às Tertúlias Literárias Dialógicas.

No caso das Tertúlias Dialógicas Musicais, a dinâmica se dá em torno da audição de peças musicais clássicas, das quais se fazem os destaques, a apresentação de cada membro ao grupo e seus comentários. 

No caso das Tertúlias Dialógicas de Artes, a dinâmica se dá em torno da apreciação de obras de artes plásticas clássicas, a partir das quais se fazem os destaques, a apresentação de cada membro ao grupo e seus comentários.

Em todas elas, o grupo deve ser estimulado a buscar informações sobre o que tratam as obras e seus autores, compositores ou pintores.

 

Algumas sugestões de obras clássicas para tertúlias dialógicas


Textos para ler

Em português

MELLO, R. R. Tertúlia Literária Dialógica: espaço de aprendizagem dialógica. Contrapontos (UNIVALI), Itajuí, v. 3, n.3, p. 449-457, 2003. Acessível em: http://www6.univali.br/seer/index.php/rc/article/viewFile/740/591

MELLO, R. R.; FLECHA, R. Tertúlia Literária Dialógica: Compartilhando histórias. Revista de Educação CEAP (Cessou em 2004. Cont. ISSN 1808-0669 Presente! (Salvador)), São Paulo: Edições Loyola, v. nº 48, n.Ano XIII, p. 29-33, 2005. Acessível em: http://www.ceap.org.br/ed_anteriores/48.htm

GAVIOLI, A. V. ; MELLO, R. R. Contribuições da tertúlia literária dialógica para a superação de concepções edistas e a construção de uma nova educação de jovens e adultos. Cadernos da pedagogia (UFSCar. Online), v. 4, p. 1-19, 2010. Acessível em: http://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/issue/view/9

MARIGO, A. F. C.; LOGAREZZI, A. J. M. Tertúlia dialógica de artes: uma atividade gerada e desenvolvida entre a comunidade e a escola. In: 34ª reunião da ANPEd, 2011, Natal. Educação e Justiça Social, 2011. v. 1. Acessível em: http://34reuniao.anped.org.br/images/trabalhos/GT06/GT06-860%20int.pdf

MARIGO, A. F. C.; LOGAREZZI, A. J. M.; MELLO, Roseli R. de. Aprendizagem dialógica na escola, na pesquisa e na formação docente: contribuições do “Projeto Roda com Arte”. Rev. Educação e Linguagens, vol. 4, n. 6, 2015. Acessível em <http://www.fecilcam.br/revista/index.php/educacaoelinguagens/article/view/805>

MARIGO, A. F. C; MELLO, R. R.; AMORIM, S. Tertúlia literária dialógica e educação de pessoas jovens e adultas: encontro entre literatura e vida. Leitura. Teoria & Prática, v. 30, p. 1497-1505, 2012. Acessível em:  http://alb.com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais18/pdf/ltp_58_suplemento_18cole_1210_1601.pdf

GIROTTO, V. C.; MELLO, R. R. O ensino da leitura em sala de aula com crianças: a tertúlia literária dialógica. Inter-ação (UFG. Online), v. 37, p. 67-84, 2012. Acessível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/interacao/article/view/18869/11241

 

Em espanhol

Aguilar, C.; José Alonso, M.; Padrós, M.; y Ángel Pulido, M. (2010). Lectura dialógica y transformación en las Comunidades de Aprendizaje. Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado continuación de la antigua Revista de Escuelas Normales. 67, 24, 31-44. Acessível em: https://aufop.blogspot.com.br/2010/01/monografico-sobre-comunidades-de.html

FEBRÉ LÓPEZ, Blanca et al. Tertulias literarias dialógicas. Ciencia, ilusión y las mejores obras de la literatura para todos y todas. Padres y Maestros / Journal of Parents and Teachers. Acessível em <http://revistas.upcomillas.es/index.php/padresymaestros/article/view/7118/6951>

Flecha R., García R., Gómez A. (2013). Transferencia de las tertulias literarias dialógicas a instituciones penitenciarias [Transference of dialogic literary gatherings to penal institutions]. Revista Educación, 360, 140-161. Acessível em <https://www.researchgate.net/profile/Rocio_Garcia-Carrion/publication/243056522_Transferencia_de_tertulias_literarias_dialogicas_a_instituciones_penitenciarias/links/0deec51d029d16e263000000.pdf>

GARCÍA-CARRIÓN, Rocío; MARTÍNEZ DE LA HIDALGA, Zoe; VILLARDÓN, Lourdes. Tertulias literarias dialógicas: herramienta para una educación de éxito. Padres y Maestros / Journal of Parents and Teachers, [S.l.], n. 367, p. 42-47, sep. 2016. Acessível em <http://revistas.upcomillas.es/index.php/padresymaestros/article/view/7122/6955>.

Pulido, C., & Zepa, B. (2010). La interpretación interactiva de los textos a través de las tertulias literarias dialógicas. Special Issue: Communicative acts for social inclusion, Signos, 43(2), 295-309. Acessível em:http://www.scielo.cl/pdf/signos/v43s2/a03.pdf

 

Sites:

 
 
Nossas fotos


Tertúlia de artes com crianças (2008)
Tertúlia de artes com crianças (2008)


Tertúlia de artes com crianças (2012)
Tertúlia de artes com crianças (2012)


Tertúlia literária dialógica com crianças (2012)
Tertúlia literária dialógica com crianças (2012)


Tertúlia literária dialógica com jovens e adultos (2014)
Tertúlia literária dialógica com jovens e adultos (2014)


Tertúlia musical dialógica com jovens e adultos (2014)
Tertúlia musical dialógica com adultos (2014)


Tertúlia dialógica de artes com jovens e adultos (2015)
Tertúlia dialógica de artes com jovens e adultos (2015)


Tertúlia literária dialógica SBPC (2015)
Tertúlia literária dialógica SPBC (2015)


Tertúlia musical dialógica com professorado (2015)
Tertúlia musical dialógica com professorado (2015)


3º Encontro TLD- adultos (2015)
3º Encontro TLD- adultos (2015)


4º Encontro TLD- jovens e adultos (2016)
4º Encontro TLD - jovens e adultos (2016)


4º Encontro TLD- crianças (2016)
4º Encontro TLD - crianças (2016)


Tertúlia de artes com professorado (2017)
Tertúlia de artes com professorado (2017)
Ações do documento